Cenografia para Festas: coisas que você precisa saber.

Cenografia é um termo muito usado no mundo das artes, seja no teatro, ópera ou cinema. Recentemente essa expressão passou a ser adotada pelo universo das festas infantis. Mas, afinal, o que diferencia “decoração” de “cenografia”?

Decorar, no meu entendimento, é a arte de transformar um espaço, utilizando móveis, objetos e paredes. Transportando esse conceito para as festas infantis, acrescenta-se um tema, uma inspiração…

Geralmente o tema é definido pelos pais ou pelas próprias crianças, conforme elas vão crescendo e se identificando com personagens, paisagens ou elementos que tenham algum significado para elas, como tratores, bonecas, pipas etc.

A decoração na festa infantil cria uma atmosfera de fantasia para realçar a figura do bolo e para servir como cenário para as fotos do aniversariante e de seus familiares.

O X da questão é entender que nem toda decoração é uma cenografia. Cada profissional de decoração executa seu ofício de acordo com seu gosto pessoal, as ideias trocadas com as suas clientes e com aquilo que ao longo de sua jornada será definido como seu “estilo”, sua “assinatura”.
Os dicionários nos ensinam que “cenografia” é a técnica de representar em perspectiva. A tridimensionalidade cria a ilusão de espessura e profundidade das figuras. No caso das festas infantis, os anfitriões e convidados conseguem passear pelo espaço do bolo, como se estivessem inseridos em outro universo.

Paredes falsas, forradas com tecido; objetos produzidos em tamanho real ou tamanho exagerado; esculturas em isopor ou fibra representando os personagens… esses são alguns elementos que caracterizam uma mesa cenográfica.

Mas há outros estilos de decoração de festas infantis. Quero que você conheça um pouquinho de cada um:

Mesas comerciais ou “de pacote”


Mesas e cenários idealizados pela empresa de decoração e depois reproduzidas em escala, apenas com sutis adaptações solicitadas pelas clientes. Muitas mães optam por essas mesas por terem um custo menor e pela praticidade – já que muitas vezes elas já fazem parte do pacote de benefícios oferecidos por alguns salões infantis.

Mini Table


Composições de pequeno porte, geralmente com 3 ou 4 metros de extensão, caracterizadas pela “desconstrução”. Móveis de diferentes formatos e até elementos alternativos, como escadinhas e contêineres, ajudam a compor o ambiente, sem uma preocupação com o efeito “espelhado”. Os painéis também costumam ser bem criativos e, muitas vezes, são até dispensáveis.

Mesa gráfica

A tríade de uma decoração de festa – piso, mesa forrada e painel – é toda produzida em impressão gráfica, seja em lona, adesivo ou tecido sublimado.

O bacana é que todos esses estilos de decoração podem ser cruzados entre si. Eu mesmo já produzi cenários de pequeno porte contando com esculturas de personagens em tamanho real, o que de certa forma tornou a minha decoração um híbrido entre minitable e cenografia. Também já incorporei objetos de tamanho real na decoração de mesas com linguagem gráfica. É bacana brincar com os estilos, sem perder sua assinatura.

O importante para o decorador é desafiar-se constantemente e encontrar seu próprio caminho, algo que o diferencie e que o torne único. Ainda que sujeito a sofrer plágio, o bom profissional terá sabedoria para entender que “só é copiado quem é admirado”.

Por Fábio Daltro.

 

Gente essas dicas do Fábio Daltro foram incríveis!!! Eu amei tanto esse post quanto este aqui !!! Se você gostou desse post, comente aqui abaixo e não deixe de acompanhar nossas dicas para profissionais também em nosso Instagram e no canal do Youtube.

Um beijo e um queijo,

Ranne Couto

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Patricia Moura comentou:

    COMO É MARAVILHOSO ESTAR EM BUSCA DO APRENDIZADO!
    Perfeitooo

    1. Feliz que você tenha gostado do conteúdo. Buscar aprendizado é essencial! Sucesso em sua jornada

  2. Rosélis comentou:

    Fabio maravilhoso, que conteudo enriquecedor. Amei.